Banner Anuncie Aqui 730×150
Display para Alcool Gel 1

Tramita no Senado Federal com a maior tranquilidade, sem nenhum tipo de controvérsia, a PEC da nova Previdência. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), no seu parecer se incluísse algum tipo de mudança ou mudasse o texto da PEC, a matéria voltaria á Câmara dos Deputados, pra novas votações, o que poderia inviabilizar ainda neste ano, a entrada em vigor das novas regras das aposentadorias.

A expectativa é que a PEC da nova Previdência será votada, no dia 24 em primeiro turno e no dia 10 de outubro, no segundo turno. Para ser aprovada em ambas as fases, a PEC precisa do apoio de 49 dos 81 senadores.

As mudanças propostas pelos senadores e mais a inclusão dos estados e municípios na reforma, farão parte de uma PEC paralela, preparada pelo relator Jereissati, e que será votada tanto no Senado como na Câmara. Acordo celebrado entre os presidentes das duas Casas do Congresso, a PEC será votada pelos deputados e senadores ainda neste ano.

A PEC paralela englobará as seguintes sugestões:

  • Inclui estado e municípios
  • Garante um salário mínimo de renda formal para todos os pensionistas
  • Dobra a cota da pensão por morte para os dependentes de até 18 anos
  • Mantém tempo de contribuição em 15 anos para homens que ainda não entraram no mercado de trabalho.
  • Propõe calculo mais vantajoso na aposentadoria por incapacidade em caso de acidente de trabalho
  • Reabre prazo para adoção do regime de previdência complementar dos servidores federais
  • Institui cobrança de contribuição previdenciária de entidades filantrópica, exceto Santas Casas e entidades de assistência.
  • Institui contribuição previdenciária do agronegócio exportador
  • Institui cobrança previdenciária no Simples Nacional.

LUCIANO HUCK ESTÁ CHEGANDO

O “ninho dos tucanos” está alvoroçado. A cada dia o ambiente fica mais tenso. O governador paulista João Doria já avisou que pretende disputar a sucessão do presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Para viabilizar essa intenção, ele está pondo em pratica a politica de “tratorar” lideranças antigas do PSDB, por achar que elas se opõem a sua chegada ao Palácio do Planalto. Primeiro, se valendo do sucesso de suas eleições seguidas para prefeito da cidade de São Paulo e governador- os dois maiores redutos eleitorais do país- João Doria conseguiu emplacar aliados para o comando nacional da legenda. Isolou o ex-governador Geraldo Alckmin, responsável pela sua ascensão politica ao elegê-lo prefeito.  Fez o mesmo com algumas lideranças tucanas chegadas à Alckmin, como ex-senador José Aníbal. Hoje, trama a expulsão do partido Aécio Neves, sob alegação de envolvimento em corrupção, essa estratégia de João Doria querer se transformar “dono” do PSDB, está encontrando reações. Já tem expressivas lideranças, olhando com ares de esperança para o apresentador de televisão Luciano Huck. Ele nas eleições passadas ensaiou sua entrada na corrida presidencial. Por sua juventude na politica, Hulck foi aconselhado por amigos, inclusive o ex-presidente FHC, a adiar seu projeto presidencial. Ele recuou, decidindo se dedicar as suas atividades da TV Globo, onde comanda um programa de grande audiência. Foi garoto-propaganda de varias campanhas transmitidas pela televisão. Comprou um avião e passou a percorrer o país, sempre mantendo contato com políticos regionais, jovem, com boa formação cultural, bom de discurso, bem relacionado nos meios empresariais e financeiros, de família com historia no PSDB, bem financeiramente, Luciano Huck está convicto de  que seu momento será as eleições de 2022.

João Doria e Jair Bolsonaro que já avisou que vai disputar a reeleição, que se cuidem. Luciano Huck está chegando para enfrenta-los, e certamente com o apoio da poderosa TV-Globo.

BOLSONARO, NOVA CIRURGIA AMANHÃ

Será o quarto procedimento que o presidente da Republica se submeterá desde o atentado à faca, em 6 de setembro do ano passado, em Juiz de Fora, Minas Gerais, durante a campanha eleitoral.

A intervenção, para corrigir hérnia incisional, está marcada para amanha, domingo no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A cirurgia estará a cargo do médico Antônio Macedo, que o operou no ano passado. A cirurgia foi marcada para amanha, para garantir a presença de Bolsonaro no desfile de 7 de setembro, que ocorre hoje em Brasília. O medico garantiu que Bolsonaro estará recuperado para falar na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, no próximo dia 22 em Nova Iorque, Estados Unidos. Antes de ser operado, Bolsonaro passara a presidência da Republica ao vice-presidente General Mourão