Banner Anuncie aqui 730×150 (2)
Banner Anuncie Aqui 730×150


Recolhido pela Policia Militar, na noite de sábado (13/09)  e encaminhado posteriormente à Cadeia Publica de Pradópolis,  João Teixeira de Lima, jornalista e proprietário do Portal Fonte, foi condenado em primeira instância em processo civil da Justiça Federal da Comarca de Presidente Prudente.

Segundo a petição inicial do Ministério Publico Federal de Presidente Prudente, ele teria feito “meio de campo” perante os assentados para concretização de irregularidades que culminaram  com o desvio de dinheiro público.

Na ocasião, o Governo Federal criou o PROCERA –  Programa de Crédito Especial da Reforma Agrária e, por meio deste programa, abriu uma linha de crédito ao INCRA a fim de que fossem destinados recursos de fomento aos assentados individualmente ou por meio de cooperativas.

Então, na época, foram liberados recursos federais à Cooperativa dos Pequenos Produtores – Chico Castro Aves na cidade de Martinópolis, interior de São Paulo, para a implantação de projeto coletivo de eletrificação rural ao assentamento.

Segundo a promotoria, o projeto não foi executado e o numerário liberado pelo INCRA teria sido apropriado por cinco acusados.

Segundo o Juiz, João Teixeira passou-se por funcionário do INCRA e, utilizando desse “status”, passou a convencer os assentados a assinarem  contrato com a CIAL.

Em sua defesa, João Teixeira alega que, na ocasião, era aposentado do INCRA, mas presidente da ASSINCRA – Associação dos Servidores do  INCRA e, como tal, visitava todos os assentamentos. Disse ainda que as provas contra si eram testemunhais e que jamais participaria deste tipo de negociata.

Download

Confira o Boletim de Ocorrência: