coletti 051115

São sombrios os horizontes do Brasil. As crises na política, na economia e na ética estão bem próximas de seus pontos máximos, às bordas de um precipício.

Aos brasileiros está restando tão somente se ajoelharem, levantarem as mãos para o céu e rezarem. Suplicarem por um milagre. Clamarem para nossas elites criarem juízo, deixarem de lado suas divergências, colocarem as sandálias da humildade, e passarem a pensar, olharem para a grandeza do nosso país, de dimensões continentais.  Com um povo de boa índole, amigo da paz, do trabalho e sempre de bem com a vida.

O Brasil não pode continuar sendo massacrado, humilhado, esnobado, como acontece nos dias de hoje pelos seus dirigentes.

A presidente Dilma Rousseff precisa ser menos arrogante, aceitar que até agora o seu governo tem sido um desastre, o principal responsável pelo Brasil estar no atoleiro em que se encontra.

Os presidentes FHC e Lula, reconhecidos como as duas maiores lideranças do país, precisam sentar em torno de uma mesa, ficando de olho no olho,  esquecendo o passado, e mirando tão só no futuro do Brasil. A guerra ridícula PT e PSDB precisa também ter um fim. Nela só se notam vingança, ódio, inveja, frustrações e pretensões.

Juntos, numa mesa, FHC e Lula terão condições de criarem um clima para evitar que o país caia de vez no precipício. Dos entendimentos deles poderá surgir o inicio da tão necessária conciliação nacional. Acabar com as sombras que encobrem o país. Os políticos, os empresários, enfim todas elites, precisam voltar a se preocupar com as medidas tão necessárias para recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento e crescimento. Esse milagre é que os brasileiros sonham.

FIM DE ANO INDIGESTO

Neste final de ano, o Congresso Nacional terá uma pauta política indigesta para a presidente Dilma Rousseff.

Na Câmara, seu presidente, deputado Eduardo Cunha, decidirá ainda neste mês se engaveta ou dará seguimento ao pedido de impeachment contra ela.

O senador Renan Calheiros  marcou para o próximo dia 17 a reunião do Congresso Nacional  para analisar a manutenção ou derrubada dos vetos presidenciais. Entre eles o reajuste médio de 59% para os servidores do Poder Judiciário.

No mesmo dia 17, o PMDB promoverá sua convenção nacional. Um forte grupo de caciques peemedebistas vai tentar aprovar o rompimento do partido com o governo e com o PT. Esses caciques não aguentam mais o relacionamento conflituoso com ex-presidente Lula e os petistas.

Na próxima semana, a Comissão Mista de Orçamento do Congresso começa o exame da decisão do Tribunal de Contas da União, rejeitando a prestação de conta do ano passado da presidente Dilma, por conta das pedaladas fiscais que chegaram a R$ 40 bilhões.

BANALIZAÇÃO NO USO DE ARMAS

Comissão Especial da Câmara dos Deputados, controlada pela chamada “Bancada da Bala” aprovou proposta que desmonta o Estatuto do Desarmamento, escancarando as porteiras para o acesso e o porte de armas. Criou as condições para transformar o Brasil num imenso faroeste onde Johm Wayne usava o tiro como palavra final. O projeto prevê registro gratuito para a primeira arma do cidadão. Diminui em 70% as taxas administrativas pagas atualmente pela legalizar a arma. O valor para o porte passa dos R$ 1.000 cobrados hoje para R$ 300. O registro só será cobrado a partir da segunda arma. O seu valor hoje de R$ 60, cai para R$ 50. O projeto prevê ainda que, além do registro, todos os outros certificados necessários para garantir o porte, serão gratuitos para quem se declarar pobre. Tem mais: o projeto autoriza as pessoas que respondem a inquérito policial ou a processo criminal a dispor de armas como quem não tem acertos com a Justiça.

Esse processo que a “Bancada da Bala” quer impor a sociedade brasileira terá ainda de passar pelo crivo dos plenários da Câmara e do Senado.

A expectativa é que o bom senso prevaleça e os deputados e senadores rejeitem esta banalização.

No lugar de armas, o que queremos é o desarme dos bandidos.

NOTICIAS DIVERSAS

A seguir notícias que mexem com o dia- dia dos brasileiros.

DESEMPREGO- Hoje, o maior problema virtual do pais, o desemprego caminha para ultrapassar os 10%. Uma tragédia nacional.

INFLAÇÃO- Já ultrapassou o índice de 10%. Para quem frequenta os mercados, padarias, feiras, a sensação é que o custo de vida está acima dos 12%.

DIVIDAS- Com o desemprego e a inflação nas alturas, 62,15% dos lares do Brasil estão endividados. Não conseguem pagar em dia as contas básicas, como as de energia e água.

NO SUFOCO- Os aposentados beneficiários do INSS já devem R$ 85,7 bilhões aos bancos referentes ao credito consignados.

FUTURO COMPROMETIDO- Falta de chuvas em Minas Gerais, no Centro- Oeste e no Nordeste está devastando lavouras, atrasando o plantio e dificultando a produção do leite. No Sul do país, o problema está no excesso de chuva, com prejuízos grandes na produção futura de arroz, trigo e frutas, como a uva.

PROFESSORES- O piso salarial dos professores da rede pública de eduicação básica pode passar de R$ 1.917,38 para R4 2.743,68 , a partir de janeiro de 2016. Projeto de lei neste sentido está em votação no Senado.

JOGO DE AZAR- Cresce no Congresso Nacional o número de parlamentares favoráveis a legalização dos jogos de azar e funcionamento dos cassinos. O governo considera bem vindo o dinheiro dos jogos de azar.

CAOS NO DF- O caos tomou conta do Distrito Federal. Sem dinheiro, o governo local deixa de atender as reivindicações dos servidores. Resultado: greve nas escolas públicas, nos hospitais e no metrô. O mais grave: a arrecadação de impostos caiu de forma assustadora, empresas fechando suas portas ou se transferindo para o entorno de Brasília.