Nesta quinta-feira (09) é comemorado no estado de São Paulo o Dia da Revolução Constitucionalista de 1932, que se tornou um marco para os paulistas na luta pela democracia no Brasil. Jaboticabal teve participação com mais de 400 pessoas, entre homens e mulheres. O movimento também contou com a ajuda da escola Coronel Vaz, que angariou mantimentos para os combatentes.

Conhecedores da história jaboticabalense, Luiz Carlos Beduschi, à esquerda, e Dorival Martins de Andrade (Foto: Fábio Penariol/Jornal 101)

Conhecedores da história jaboticabalense, Luiz Carlos Beduschi, à esquerda, e Dorival Martins de Andrade (Foto: Fábio Penariol/Jornal 101)

Após a Revolução de 1930, um golpe de estado que levou Getúlio Vargas ao poder, já deixava os paulistas insatisfeitos com o governo provisório, onde Vargas concentrou o poder e nomeou autoridades nos estados, enquanto os paulistas esperavam a convocação de eleições, porém, dois anos se passaram e o governo provisório ainda continuava no poder.

Foi quando a paciência acabou e os paulistas resolveram protestar e saíram às ruas, fazendo manifestações contrárias ao governo de Vargas, inclusive com participação de Jaboticabal.

Quem explica como foi a Revolução Constitucionalista de 1932 são dois conhecedores da história jaboticabalense, o professor Luiz Carlos Beduschi e o advogado Dorival Martins de Andrade. Ouça o áudio abaixo com um documentário feito pela reportagem do Jornal 101: