Projeto da área cultural Sesc, a série “Muito Prazer, Meu Primeiro Disco” segue em 2021 revisitando os primeiros trabalhos de grandes nomes da história da música brasileira. A série, que nos episódios anteriores contou com a participação de Gilberto Gil, Chico Buarque de Hollanda e João Bosco, agora foca a carreira da maranhense Alcione. E ela quem abre a série este ano, com seu álbum “A Voz do Samba”, lançado em 1975. A conversa com a cantora e compositora ficará disponível a partir deste sábado, dia 27,  às 20 horas, no canal do YouTube do Sesc Pinheiros e na plataforma do Sesc Digital.

Nascida em São Luís do Maranhão, Alcione mudou-se para o Rio de Janeiro em 1967, onde deu início à sua carreira artística. No início de sua trajetória, ganhou o apelido de “A Marrom”, que a acompanha até os dias de hoje. A artista se apresentou nos principais palcos do Brasil e do mundo, tendo cantado em mais de 30 países e acumulado vários prêmios, incluindo o GRAMMY Latino, em 2003, na categoria “Melhor Álbum de Samba/Pagode”.

Seu envolvimento com o universo do samba e das escolas de samba é marcante, especialmente com a Estação Primeira de Mangueira. É fundadora da Escola de Samba Mirim da Mangueira, o Centro de Arte da Mangueira – Mangueirarte – e o Centro de Apoio da agremiação.

“A Voz do Samba”, disco de estreia, traz 12 canções, com composições de nomes como Candeia, Nelson Rufino, Caetano Veloso e Carlos Dafé. O álbum, que completa 46 anos em 2021, conta ainda com sambas antológicos, como “O Surdo”, de Totonho e Paulinho Rezende, e “Não Deixe o Samba Morrer”, de Édson e Aloísio.

Ouça o disco “A Voz do Samba”, o primeiro da carreira de Alcione: 

Fonte: portalsucesso.com.br