Recentemente o TCE (Tribunal de Contas do Estado) apontou algumas ocorrências que levaram o tribunal a julgar como irregular a prestação de contas de 2014 da FAE (Fundação de Amparo ao Esporte). Foram indicados oito itens a serem ajustados, entre eles transferência de verbas pelo Poder Executivo e 18 cargos comissionados na fundação. O procurador jurídico da Prefeitura, Alício Vilela da Cunha Junior, falou sobre os apontamentos no Jornal 101 desta quarta-feira (08).

Ouça a reportagem: