Os grandes feirões realizados pelas imobiliárias têm se tornando a principal oportunidade para os investidores que buscam preços atraentes somadas às facilidades de compra e financiamento, aquecendo o mercado imobiliário nesse momento de crise econômica vivenciada pelo país.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Os feirões oferecem a confiança perdida com o panorama atual da economia, de altas taxas de juros, instabilidade econômica e alto índice de desemprego, e vem timidamente, aquecendo o mercado em um clima frio.

As construtoras apostam nesse tipo de atividade, pois estas trazem um retorno positivo, aumentando o faturamento das vendas de 20% a 25%, pois concentram todas as ofertas em um único lugar com todos os investidores, potencializando as vendas.

Aliado às facilidades dos feirões, a Caixa Econômica Federal apresentou na última terça-feira novas medidas a fim de estimular o crédito imobiliário, ampliando as faixas a cota de financiamento de 40% a 60%, podendo até chegar a 80%. No dia 20 de março, um feirão realizado na cidade de São Paulo trouxe novos apartamentos com até 50% de desconto.

Mesmo com todas as restrições por parte dos bancos na hora de aprovar um financiamento, o mesmo não ocorre com as construtoras que procuram fomentar a venda das unidades em estoque e, dessa maneira, reaquecer o setor imobiliário. Contudo, o ideal é pesquisar sobre a média de preços de outras casas e apartamentos que possam ser de interesse, pois estas podem servir de parâmetro de comparação para que o comprador saiba qual é a média de preço e possa avaliar a porcentagem de desconto oferecido pelos feirões, como está busca filtrada da Agente Imóvel.

Especialistas esperam uma recuperação do fôlego das construtoras na construção de unidades com novos custos de construção, que tenderão a ser mais elevados, Por isso, este é o momento ideal para quem deseja investir por um preço mais acessível.